Direito ao aborto?

Como as coisas mudam neh? Eu já defendi o direito ao aborto não nego, defendia que as mulheres podiam ter o direito de escolher se queriam ter um filho, por que ninguém aborta por que quer, mas por que por algum motivo PRECISA. Mas foi em um debate na sala de aula que mudei meu discurso, o relato de um enfermeira me tocou e meu lado espírita, emotivo falou mais alto e o lado POLÍTICO foi convertido a ser CONTRA o direito ao aborto, com algumas exceções! Não podemos negar que métodos contraceptivos e informações tem uma acessibilidade muito grande nos dias de hoje, continuo concordando que falta essa informação a maioria das mulheres com nível baixíssimo de escolaridade e que as mulheres que tem condições de pagar um aborto seguro o fazem sem correr riscos e sem serem taxadas de criminosas, diferente das que chegam nos postos de saúde com problemas do aborto provocado por diversas maneiras e morrem, deixando inclusive outros filhos sem mãe, por que ela abortou porque não tinha como sustentar mais um filho. Entendo muito isso, sei que é a realidade brasileira, mas sei também que na mesma realidade brasileira a legalização do aborto seria sinônimo de banalização porque nossa população NÃO ESTÁ PREPARADA pra isso e então o aborto seria um "método contraceptivo" não tenho muitas dúvidas! Vamos defender a educação do povo, eu sei que essa dívida do estado para com o povo brasileiro é histórica e não vai ser resolvida amanhã, mas eu também sei que os gastos entre o financiamento para uma educação de qualidade e o financiamento para um aborto seguro, EDUCAR é a melhor escolha, mesmo que demore, o preço é alto, eu sei, mas acredito que um dia seremos vitoriosos! E aí falando do meu coração, lembro do relato da Enfermeira: "- o feto sofre demais, é doloroso para a mãe e para o feto, quando participei do primeiro aborto eu tive que jogá-lo no lixo porque ele tinha menos de 500g e tinha que ser jogado no meio do lixo hospitalar" Isso acabou comigo ='( Deus tenha misericórdia!


31 de Março de 2012

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

por menos romantização nos sintomas da gravidez

reviravolta

pariu, bateu, que balance