Eu e o DCE da UPE

É isso, topei o desafio, sou candidata a Presidente do Diretório Central dos Estudantes da UPE, se bem que somos chapa única, já podemos nos considerar gestão se tudo se encaminhar como estamos planejando. Então posso dizer que sou quase Presidente do DCE. Isso me deixa ainda mais nervosa e insegura. Sabe aquele sentimento, será que vou dar conta? Eu sei que tenho muita disposição em fazer as coisas darem certo, em querer aprender, em querer ouvir, em querer construir mesmo. 

Mas presidir uma entidade como o DCE da UPE não é coisa fácil, a universidade é dividida em todas as regiões do estado, são mais de dez unidades de ensino com estudantes totalmente diferentes, porém, com dificuldades muito parecidas! Enfim, além do desafio político, social e institucional, de conseguir articular todos os membros, de debater o que podemos fazer com responsabilidade, que estou assumindo junto a quase 120 colegas, existe o desafio de dentro, da alma, que já falei em outro texto, o de controlar as minhas emoções. 

Nos últimos dias as pessoas me dizem coisas como "você é uma ótima líder", confesso, que medo de decepcionar essas pessoas. Sei que jamais vou agradar a todo mundo, vou sofrer acusações por ser filiada a UJS e ao PCdoB e que os momentos difíceis virão, mas como digo muito, o que importa na vida são as pessoas, somente as pessoas e não quero magoar ninguém, não quero que ninguém fique desacreditado, perca a esperança de fazer a UPE avançar a partir do movimento estudantil por algum erro meu, ou talvez nem meu, dos problemas cotidianos mesmo. 

E falando nisso, que bom que tem tanta gente que acredita na força que a gente tem, são elas que ainda me deixam de pé e determinada. Passando em sala esses dias pra fazer campanha da nossa chapa "Para transformar a UPE: um novo DCE" percebo a indiferença com que cerca de 90% dos estudantes nos olham, ou mais, e eu penso e tento passar para os mais novos, "não importa!", nossa missão é maior e a lógica da sociedade capitalista deixam as pessoas assim. Avante! De todas as nossas propostas, eu sozinha só prometo quatro coisas: carinho, respeito, atenção e política da boa!


"Mentes brilhantes também causam grandes sofrimentos. É preciso educar os corações"

Comentários

  1. E a gnt chegou muito bem, sem desmerecer a ninguém|
    enfrentando no peito um certo preconceito e muito desdém...

    E hoje em dia eu posso dizer, que essa música é nossa raiz|
    tá chovendo de gente que fala de samba e não sabe o que diz...


    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

por menos romantização nos sintomas da gravidez

a hora da virada

um pau duro e uma punheta