Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

feliz, assim, sendo

Nas últimas publicações venho falando muito de felicidade, deve ser consequência da paz de espírito que estou vivendo, quando a gente tá bem com a gente acontece essas coisas e de repente olho ao redor e percebo que as dificuldades só existem por que nós as tornamos difíceis  e que ser feliz é fácil, é questão de ser, pois bem, estou feliz, assim, sendo.

Felicidade é só questão de ser?

Imagem
Muito se engana quem diz que "a felicidade só depende da gente", já cantava o poeta que é impossível ser feliz sozinho e é. Mas apesar de não conseguirmos ser felizes sozinhos, acredito que felicidade é um estado de espírito que vem de dentro e que não nos pertence. Não nos pertence porque ela está entregue nas mãos de outras pessoas, das pessoas queridas, do bem amado, dos nossos pais e filhos, na satisfação pessoal e profissional, na alegria de viver, enfim... E que por vezes pode dar errado, é um risco que se corre, quando dá errado a gente sente a verdadeira infelicidade, mas como saber sem arriscar-se? Felicidade é isso, é entrega! É apostar nela todos os dias, apostar no que te faz feliz, apostar e pagar pra ver e viver sem medo. Felicidade é só uma questão de ser louco o suficiente pra arriscar ser feliz no meio de apostas diárias.

EBULIÇÃO PRÉ-ELEIÇÕES

Estamos a doze meses das eleições que vão mudar a correlação das forças políticas no nosso país, o povo brasileiro irá eleger novos deputados estaduais e federais, novos senadores, novos governadores, nova presidência da República, ou não. Se de fato as eleições por si só já mexem, renovam, transformam e muda a correlação de forças dos poderes instituídos, o curso das disputas vindouras promete e já provoca grande ebulição de cunho nacional e em alguns casos mais que outros, estaduais. As ditas “Jornadas de Junho” fez de 2013 um ano atípico neste momento pré-eleitoral e funcionou como um divisor de águas para os que pensam com responsabilidade os rumos políticos do Brasil e para os que pretendem pleitear um cargo político ano que vem. 
Milhões de pessoas na rua negando qualquer representatividade, exigindo mais Estado, ilustrado nos cartazes que reclamavam mais qualidade na educação, saúde e transportes públicos e reivindicando ainda, mais participação nas decisões políticas de Governo…