o recalque da classe média

Se eu fosse eles ontem, eu também mandaria Dilma tomar no cu. Claro que mandava, mandava com gosto. É insuportável dividir o mesmo voo com gente pobre que fala alto e sempre dá um jeito de puxar uma conversinha pra falar qualquer besteira. É inaceitável que pobres possam comprar carros, carros que antes só eles podiam comprar. É um absurdo ter reserva de vagas para estudantes de escolas públicas, eles são muito melhores e mais capazes para estudar nas universidades federais. É foda ver que que milhões de brasileiros hoje tem outra perspectiva de futuro e para eles nada mudou, continuam na mesmice. 

Os gritos DESRESPEITOSOS direcionados a Dilma ontem não representam o sentimento da maioria da população brasileira que não teve acesso ao estádio e não vai ter porque o ingresso foi caro mesmo e a gente não podia pagar, assim como eu não posso pagar uma roupa de marca. Não acho que teve contradição em relação a isso, não tive muitas informação a respeito, mas acredito que as medidas que o governo federal pôde tomar em relação a democratização ao acesso, acredito eu que tenham feito. 

Mas enfim, as vaias foram reflexo de um governo que na sua essência governa prioritariamente para o povão, apesar das contradições relacionadas a complexa correlação de forças entre a frente de esquerda, banqueiros e os setores mais conservadores da nossa sociedade. 

Dilma me representa e é nela que vou votar!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

a hora da virada

por menos romantização nos sintomas da gravidez

educação, enganação, conformação