DESCUIDO E POESIA

"Mas fica, quem sabe um dia por descuido ou poesia você goste de ficar", Chico escreveu inspirado em nós, ele olhou pra gente e pensou, eles tem que insistir, tem que permanecer, tem que estar/ficar e quem sabe eles insistindo, por descuido da mão no peito, das músicas de Seu Jorge, da procura de companhia ou da poesia que explode em cada encontro, eles gostem de ficar. E ficamos, por descuido ou poesia, por descuido e poesia.

A gente é descuido, é poesia e é silêncio. Aquele silêncio da última noite, aquele silêncio que era muito barulhento, respiração, estalos e suspiros. Aquele silêncio que não dizia nada, mas dizia muita coisa. Aquele silêncio que tinha gosto de beijo contido, de cheiro de pele, de calor de abraço apertado, tão apertado que só podia acabar em suspiro. Aquele silêncio era o descuido, era a poesia, era a felicidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

por menos romantização nos sintomas da gravidez

reviravolta

pariu, bateu, que balance