das escolhas de você

Eu que preferia ainda ter muita coisa pra descobrir por muito tempo, suspeito que tenho descoberto muita coisa, ainda não conheço milimetricamente cada traço das tuas tatuagens, mas em compensação descobri tua posição preferida de dormir e o tamanho exato do espaço que você precisa ocupar na cama pra te deixar mais confortável, descobri os teus gostos de comida e roupa, descobri tuas vontades e desvontades, descobri o que te agrada e muito mais o que te desagrada. 

Depois de todas descobertas posso escolher te deixar mais à vontade na cama ou dormir encaixada com meu rosto no teu peito, posso escolher preparar a comida que vai te despertar o apetite ou uma comida que não te satisfaça tanto, posso escolher fazer todas as tuas vontades em nome da tua liberdade e em detrimento da minha, porque eu sei o que você tem vontade de fazer só de ler tuas expressões ou alguma mensagem tua, posso escolher te agradar sempre com o que você quer ouvir, quer fazer, quer ter ou te deixar abusado, porque eu escolhi te desagradar só pra contrariar. 

Eu já descobri tanta coisa que a gente poderia seguir calculadamente sem causar turbulências entre nós e viver dormindo confortavelmente, apetitosamente, livremente, agradavelmente, acontece que eu escolho te provocar, te contrariar, te perturbar, senão vai perder a graça quando você tentar me convencer que eu tô exagerando, ou quando eu precisar gritar verdades da minha natureza humana e egoísta na tua cara, vai perder a graça a falta de desavenças e a reconciliação que demora cinco minutos pra acontecer, vai perder a graça aquele sentimento de incerteza de saber se é o limite ou se ainda tem mais música pra rolar. 

Eu escolho esquecer que descobri algumas coisas pra que a gente não perca a graça de ser a gente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

por menos romantização nos sintomas da gravidez

reviravolta

pariu, bateu, que balance