uma invenção

Acabei de inventá-lo, como diria o mestre Cazuza, pra minha mera distração. O inventei e o programei com algumas exigências só minhas, gostar de política, falar sacanagem, não ter juízo. É o que preciso pra que se desenhe alguns sorrisos no canto da minha boca e que me deixe com vontade de querer sua presença em várias doses durante o dia, mesmo que por sms. As invenções nascem das necessidades, porém não são todas que se tornam úteis e agradáveis. Mas ele de fato me agrada necessariamente e isso basta, por enquanto.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

a hora da virada

por menos romantização nos sintomas da gravidez

educação, enganação, conformação